Nota de Solidariedade

A Associação dos Oficiais Militares de Alagoas – ASSOMAL, diante da abertura do Procedimento Administrativo, instaurado pelo Comando da PMAL, na última quinta-feira (24), apenas um dia após a aceitação da proposta do Governo pela Assembleia Geral dos Militares, em desfavor da Cap Firmo/3º BPM, vem a público declarar apoio a referida oficiala e repudiar qualquer tipo de retaliação, por parte do Governo, contra qualquer militar que tenha praticado ações de legalidade durante o Movimento Unificado das Militares de Alagoas por melhoria salarial.

Declarar ainda que foi por meio da temperança das ações de legalidade, orientadas pelas associações e praticadas pelos militares, que o Estado de Alagoas pôde ser administrado, durante a crise, diferentemente de outras unidades da federação que passaram pelo mesmo problema. A retaliação por qualquer forma de manifestação (TRANSFERÊNCIA, PUNIÇÃO, EXPOSIÇÃO, AMEAÇA OU DEGRADAÇÃO DA DIGNIDADE) ao militar que tenha praticado as ações orientadas pelo Movimento Unificado é uma afronta a todos os militares e ao acordo pré-firmado com o governo, sobretudo, de que não poderia haver perseguição. O Movimento que já é alvo de elogio por parte da mídia e do povo de Alagoas pela demonstração de respeito as leis, a segurança da sociedade e aos pilares de sustentação das Corporações Militares – hierarquia e disciplina, não deve ser manchada por sentimento de vingança do governo.

Razão pela qual, nós que fazemos a ASSOMAL, colocamo-nos a disposição da Cap Firmo para defendê-la em qualquer demanda administrativa ou judicial instaurada em seu desfavor.
Att. Cel J. Cláudio – presidente da ASSOMAL!

Divulgue em sua rede social